5 de mar de 2009

A mulher e os cinco continentes

Era uma menina ingênua e até um pouco boboca, como as meninas de quinze anos costumavam ser. Pelo menos, mais ingênua e boboca do que as de dez anos conseguem ser, hoje em dia. Por isso, achou graça, quando o namorado, com o espírito brincalhão dos seus dezoito anos, mostrou o papelzinho onde copiara as sábias considerações a que algum outro havia chegado.

“A mulher e os cinco continentes” era o título, seguido de: ”Dos 14 aos dezesseis anos, a mulher é como a África, inculta e selvagem. Dos 16 aos 20, como a Oceania, distante e cobiçada. Dos 21 aos 30, como a Ásia, ardente e misteriosa. Dos 31 aos 40, como a América, técnica e experiente. Dos 41 em diante, como a Europa, bombardeada e sem esperança”. Ali acabavam as comparações, decretada a inexistência ou falta de importância das mulheres, passados os 41 anos.

Óbvio que riram, cheios de razão, poderosos como era natural que se sentissem dois jovens apaixonados, a vida pela frente, cheia de promessas.

Mas, por qualquer razão incompreendida _ quem sabe não era tão boboca _ a menina guardou o papelzinho. Casou com o rapaz conhecedor da natureza feminina e, entre seus pertences, levou o papelzinho para a nova casa. Deixou-o na gaveta da mesa de cabeceira.

O tempo passou, o papelzinho resistiu às organizações e limpezas da tal gaveta, esquecido entre sonetos rabiscados e outras pérolas de sabedoria, colhidas aqui e ali.

Num belo dia, a mulher novamente se dignou a reler o papel, já amarelado. Por acaso, ela estava com 45 anos.

_ Que desaforo foi esse? _ perguntou, o papelzinho em riste, fingindo fúria incontida.

O marido olhou para ela, sem entender, mas aceitou a prova do crime que lhe era oferecida. Começou a ler, lembrou, e riram juntos de si mesmos, daquele maravilhoso tempo em que se acreditavam eternos.

2 comentários:

Ana disse...

O bom humor é essencial!!
Quando ele existe, todo o resto fica fácil de conciliar e muito mais prazeroso!

Anônimo disse...

A mulher e os continentes

Dos 14 aos 17 é como a como a África, inculta, selvagem e meio virgem.
Dos 18 aos 29, como a Ásia, ardente e misteriosa.
Dos 30 aos 49 é como América, técnica e experiente.
Dos 50 aos 65 é como a Europa todos chamam de Velha mas seguem a tradição.
Dos 66 em diante é como a Oceania todo mundo sabe onde fica mais ninguem vai lá.