22 de dez de 2012

Gracias a la vida


“A que vamos brindar?” _ pergunta o amigo,quando unimos os copos, para o brinde tradicional. Após tantos brindes, erguidos ao longo da vida entre amigos de tempos que já não se conta, falta originalidade. “A nós”, responde alguém, e isso já diria tudo, mas o primeiro decreta: “À liberdade” _ e o inusitado brinde, a esta altura da vida de cada um, une copos e pensamentos, no desejo de que se possa construí-la.

Estamos no Bar Liberdade, em Pelotas, reduto de choro, samba e seresta, que nesta noite recebe o grupo Camerata Novitango, para apresentação de tangos, valsas e milongas portenhas.

A música tem a capacidade de transportar para além do cotidiano, com suas dificuldades e emergências. Os arranjos do multi-instrumentista Possidônio Tavares ao bandoneon, com Laira Campos ao piano e Renan Leme ao violino, junto à interpretação da cantora Ângela Pachon, proporcionam momentos de encantamento muito além da imaginação. Abrem as portas da alma, carente de paz. O silencio é total, atentos os amantes da música à voz interior, que traz lembranças adormecidas.

Aprendi a dançar (mais ou menos) com meu pai, ao som de tangos, transmitidos pela rádio do Uruguai, a única que se alcançava, no interior de Piratini. Amante dos tangos, que decerto lhe proporcionavam lembranças de noitadas e companheirismo da juventude passada no país vizinho, costumava cantá-los, com voz emocionada e forte.

Dessa forma, inúmeros tangos passaram a fazer parte também da nossa história, trazendo muitas recordações alegres e algumas tristes. Ao final de sua vida _ após a morte de mamãe, que lhe pregou a peça de morrer primeiro, sendo onze anos mais moça _ ele às vezes umedecia os olhos, ouvindo os tangos que não se cansava de pedir para tocar, como “Cuesta Abajo” e outros, que ficaram gravados na nossa memória. Pena que não tivemos a sabedoria de avivar suas lembranças, pois ficou repetindo os mesmos “causos”, embora outras histórias interessantes devesse ter para contar.

Mas, como estamos próximos ao Natal e ao final do ano, o grupo Camerata Novitango decide que é hora de agradecer e nos presenteia com “Gracias a la vida”, de Mercedes Sosa, para encerrar com chave de ouro esta noite especial.

“Gracias a la vida que me ha dado tanto”, canta em espanhol Angela Pachon. E cada um, imagino, faz um balanço do ano que se apressa para acabar. Penso nele, o ano que finda, como velho cansado de nunca agradar. Tem razão, o ano velho, em reclamar da ingratidão e do desejo de novidade da gente em geral. Estamos sempre na expectativa de um grande acontecimento, um momento especial, uma virada na situação. E, enquanto nos projetamos para o futuro, o perigo é deixar de viver o presente, com as oportunidades e momentos especiais que se perdem, se não soubermos enxergá-los.

Assim, “graças à vida que me deu tanto”: graças pelas coisas boas e pelas ruins, se nos fortaleceram; graças pelo amor, pela amizade, por cada minuto vivido intensamente. Graças pelo abraço apertado, pelo olho no olho, pelo chão firme sob os pés, pela confiança construída.

Graças pela liberdade de cada um buscar o seu caminho.

15 comentários:

Ruthe disse...

Agradeço tudo que a vida tem me proporcionado, apesar de nem tudo ser bom, mas o " melhor" tem peso maior!
Beijos

Leonardo Fernandes disse...

"Gostei muito, tia Marta!"

Neusa Torres disse...

ABRAÇO NATALINO! GOSTO MUITO DAS TUAS CRÔNICAS!

Naná Rechsteiner disse...

Como sempre, suas crônicas me fazem pensar.Realmente, devemos viver bem o momento presente.Do passado guardamos a experiência e o futuro a Deus pertence.Um Natal muito feliz e um ano novo de muitas realizações. Bjs.

Luiz Prist Kilinsk disse...

Boa Tarde Senhora Marta, não consigo ficar sem ler e me deliciar com seus comentários todo final de semana no Jornal A CIDADE.
Espero que prossiga em 2013.
Um grande abraço Feliz Natal com muita saúde e um Ano de Paz.

Abraço

Luiz Prist Kilinsky
Espirito Santo do Pinhal/SP.

Beatriz Lang Passos disse...

"Seria redundância repetir as amigas que já comentaram... Abençoado Natal e venturoso Ano Novo, para ti e os teus!!! Bjs"

Maria de Lourdes Poetsch disse...

Amigas disseram tudo que eu desejava, assim faço a opinião delas a minha propria. Desejo muita alegria, saude e paz neste fim de ano

Diva Duro disse...

"Marta, amei Gracias a La Vida. Bjos. Feliz Natal."

Nailê Russomano disse...

ASSINO EM BAIXO DE TUDO O QUE A NANÁ DISSE . PARABÉNS , MARTA E MEUS VOTOS DE UM NATAL COM PAZ, HARMONIA E ALEGRIA ... E UM 2013 ABENÇOADO PARA TODOS NÓS.

Maria Helena Centeno disse...

Marta, adoro tuas cronicas, um grande abraço a vocês. BOAS FESTAS"

Beatriz Castro disse...

"Marta, adorei a cronica s desejo a voces um Feliz Natal"

Maria Lúcia Drummond disse...

Olá, querida amiga
Adorei a cronica Gracias a la vida!!!!Achei genial tua abordagem do ano velho!
Em especial deixar de viver o presente em favor do futuro concordo que é absolutamente descabido!Só não compreendo como Violeta Parra, que compôs Gracias a la vida, acabou se suicidando.

Marta disse...

É pra ver que ninguém escapa de momentos de depressão...e alguns podem ser fatais, quando nos falta uma mão amiga para puxar pra cima. Por isso, obrigada pelo carinho de todos os amigos e amigos que sempre me puxam e, em certos momentos, carregam no colo. Violeta Parra não deve ter tido essa sorte.

Rosana disse...

"Tia Marta, adorei a crônica! De fato somos sempre injustos com o Ano Velho, esquecendo os bons momentos que passamos, não por ingratidão, mas sim por "esperança" de que algo novo nos aconteça, preenchendo alguma de nossas necessidades ou fantasias, por vezes até infantis! Bjs."

Amanda Lemos disse...

Gostei muito do que vi !
Muito difícil encontrar espaços bacanas como este :_)

Deixo o meu aqui caso queira dar uma olhada, seguir...

http://bolgdoano.blogspot.com.br/

Agradeço desde já !