3 de ago de 2003

Sogras e noras

Sogras são mal-faladas, salvo raras exceções. Talvez a origem do problema esteja nas expectativas criadas em torno deste relacionamento. Sogra não é mãe da nora, nem deve pretender ocupar este lugar; ele já está ocupado. Sogra é uma amiga especial, a que mais deveria torcer pelo êxito do casamento dê certo, pois esta feliz ocorrência traz vantagens para toda a família.

Por outro lado, certas noras desejam esclarecer demasiadas idéias e posições, antes de terem o necessário tempo de casa. Em primeiro lugar, se ela acredita que colocou no mundo uma preciosidade, pra que acabar com esta ilusão? Até prova em contrário, pode ser que ela esteja certa. Quando, quase às vésperas do casamento, a sogra falou a clássica frase “Vou perder um filho”, a nora desta história, risonha e otimista, respondeu:
_ Ou talvez ganhe uma filha.

A observação inicial poderia ter desencadeado uma relação difícil, do tipo em que cada uma anota tudo o que a outra diz, para mais tarde cobrar. Ao invés, a jovem ignorou a frase e aguardou, esperando comerem juntas o tal saco de feijão de que a sua mãe sempre falava. Sem ele chegar ao fim, impossível fazer um juízo sobre qualquer pessoa _ ela afirmava.

A sogra já passou por muitas situações, venceu dificuldades e perdeu batalhas. Agora vem esta jovem a mil por hora, pensando que é fácil conquistar o mundo e ela tem que agüentar, com um sorriso. Oferece a sua calórica torta de chocolate e ouve um “Obrigada, estou de regime”. Sugere o seu prato especial para o domingo e descobre que ela não aprecia os ingredientes do mesmo, mas não tem importância, precisa estudar e vai almoçar em casa.

Relacionamentos são complicados, mesmo, mas nós complicamos ainda mais. Cada um tem direito às suas escolhas e preferências. Eu poderia ter dado muito trabalho para a minha sogra; mas, sábia, ela soube receber com paciência e carinho a menina que, em vários aspectos, acabou de criar. Ensinou-me muitas coisas práticas e, engraçado, aprendeu comigo. Meu sogro dizia, fingindo reclamar, que eu era péssima influência.

Tímida, comigo ela se aventurou a abrir a primeira conta bancária; ótima motorista, só depois que eu obtive a carteira de motorista e comecei a enfrentar a estrada sozinha, ela se arriscou a fazer o mesmo. Mais tarde, os papéis se misturaram e já não se distinguia a professora e a aprendiz, éramos apenas duas mulheres, cúmplices, conquistando o seu espaço.

Neste retrospecto, concluo que não entramos no jogo como adversárias, mas desarmadas e confiantes, como parceiras, certas de que a vitória só seria verdadeira se fosse de ambas. Por isso tudo deu certo.

11 comentários:

Monique disse...

Isso só no SEU relacionamento com a sua sogra. Pq eu com a minha, desculpe a palavra, é uma merda. E acho que da maioria tbm.. tentei me entender com ela muitas vezes.. mas na minha frente ela é um amor de pessoa e por t5ras faz coisas que ninguem entende.. uma vaca.

Anônimo disse...

Acho dificil o relacionamento com sogra.a gente pensa q pode contar com elas mas nos enganamos.A minha já me ajudou mto nao posso negar isso ,mas de uns tempos p cá tá dificil de engolir

Anônimo disse...

Marta
muito legal tua mensagem. Palavras sábias e muito maduras.Queria ter esta sabedoria
Já fiz uma pesquisa pelos blogs aí e fiquei chocada com a baixaria em relação a figura da sogra vinda das próprias mulheres. É vaca para lá,cobra para cá etc...
daqui há poucos anos, quando os filhos (destas cobrinhas) estiverem entrando na adolecencia as norinhas de hoje serão as vacas e as cobras de amanhã.aí que vai ser bom

Anônimo disse...

Minha sogra era um amor....me tratava como filha querida e amada....agora que nos mudamos pra cidade dela,meus filhos tem estado mais com os avós.....com isso ela tem se intrometido muito na minha forma de educar,de tratar as minhas coisas em minha casa,faz comentários indesejáveis pra meus filhos e isto te me chateado muito.....não sei como agir,pois não quero confusão.....quero ser respeitada como esposa do filho dela e como mãe dos seus netos.....Ela tem se mostrado um tanto quanto falsa.......tem sido uma barra pra mim......

Anônimo disse...

...você será a SOGRA MEGERA dentro de pouco tempo...é só esperar!

Marta disse...

Prezado Anônimo das 3:59 PM

Pena que você não se identificou, pois eu gostaria
muito que me explicasse se a sua raiva é dirigida às sogras, de maneira geral, a uma sogra em particular ou diretamente a mim, que apenas tenho a sorte de poder lembrar com carinho da minha sogra.

Muito obrigada pela sua participação e um abraço

da Marta

Anônimo disse...

Nossa Marta, que sorte a sua...
A minha sogra no começo do namoro era um amor, me tratava melhor que a minha própria mãe, tudo o que eu fazia era perfeito, ela ficava muito feliz quando eu estava por perto, a minha presença fazia bem pra ela, ela me agradava muito, me dava muitos presentes, elogios, e dizia que eu era a nora que ela pediu a deus, pq eu gosto de cozinhar, pq eu ajudo ela, eu dou atenção à ela, dizia pra todo mundo que eu era perfeita, maravilhosa e muito mais, que eu fiz o filho dela mudar muito, como pessoa e com os pais.
me ligava durante a semana, me convidava pra ir na casa dela durante a semana, me fazia dormir na casa dela, me buscava altas horas da noite, queria eu junto dela o dia todo, me levava pra todo lado, dizia que me amava. Sabe, e eu gostava disso, eu me sentia muito bem na casa dela, e com ela, ela era uma graaande amiga pra mim... e eu também agradava ela, porque eu gostava muito dela mesmo, fazia de tudo por ela, arrumava o computador dela, celular, ensinava ela com as coisas novas que ela comprava e não sabia mexer direito...
E de repente, ela mudou totalmente comigo... foi tão rápida essa mudança, que eu ainda não consigo entender o que aconteceu. Tudo mudou, ela está o oposto comigo, eu continuo agradando ela, mas não resolve, comecei a não falar mais tanto com ela como eu falava, parei de contar tudo da minha vida, pedia conselhos como antes...
E ela hoje, eu sei que não gosta mais de mim, não me agrada mais, não fica feliz com a minha presença,parece q ela enjoou de mim, tudo oq eu faço é errado, tudo irrita ela, ela chegou até a dizer pra mim que eu só dou desgosto pra ela.. e eu ainda estou com isso entalado na minha garganta, me pergunto quais desgostos eu fiz pra ela?
E ela e o meu namorado não podem ficar muito perto, pq brigam, isso sempre foi assim, então entre as várias brigas entre eles, eu procurei sempre ficar neutra, não apoiar nenhum, nao falar nada, eles que se acertem, mas ela se magoava com isso, ela queria que eu ficasse contra ele e a favor dela e me manifestasse na hora da briga, capaz que eu iria fazer isso! acabar com o meu relacionamento com ele pra ficar do lado dela, isso não tem como né.. acho que o principal relacionamento que eu devo manter é com o meu namorado, claro que seria melhor manter os dois em harmonia... mas isso se tornou impossivel, e hoje ela fica só me criticando, falando de mim pelas costas, q eu nao sou facil, q nao sou o que pareço, e eu vejo que a minha presença faz mal pra ela, ela parece que sente uma raiva enorme por mim... fica querendo me humilhar na frente dos outros, como neste final de semana de páscoa... e eu nao posso falar nada pra ele, e nao vejo soluçao, nao vejo saída.. nao sei o que fazer.
Sei q estou muito triste com isso, era tudo tão perfeito e agora está quase insuportável...

Marta disse...

Olá, Anônima de 10 de abril.
Fiquei triste com a tua mensagem, como sempre me deixam os desencontros entre pessoas que se amam. Acredito que, tanto tu como a sogra, ambas estejam sofrendo, perdidas por labirintos de dúvidas e incompreensões. É tão facil criar a discórdia entre as pessoas, principalmente quando os outros invejam aquela amizade. Cuidado com as coisas que ouves, que te fazem tomar atitudes de afastamento; ela também deve passar por isso: pessoas fazendo o leva-e-traz, inventando coisas, para aumentar a distância entre vocês.
Se possível, conversa com ela, fala como a queres bem, que não entendes, mas parece que ela mudou contigo. Ou, se achares isso difícil, procura relevar as agressões, tratá-la com carinho, levar para a brincadeira as humilhações. Se conseguires não te irritar, conquistarás a platéia e ela cairá em si.
Mas fazes muito bem em não tomar partido. Não entra nessa, que é fria. Se te colocares a favor de um ou de outro, é certo que se unirão e serás a megera.
Se és sincera, como pareces ser, conquistarás o teu espaço e o lugar no coração dos que amas. Felicidades, querida, e muita paciência.

Anônimo disse...

Olá, Marta
Quero falar um pouco sobre a minha sogra, que para mim, sempre foi a mãe do meu marido, se não fosse ela, ele não teria nascido. Gostava muito dela e sei que ela também gostava de mim, sempre nos demos mutio bem. Faz um ano que ela se foi e tive a oportunidade de acompanhá-la nos 60dias em que teve hospitalizada, sempre junto com meu marido, isso para mim foi até gratificante porque não tive a mesma oportunidade com minha querida mãe, porque na época eu era criança, isso faz muito tempo. Por incrível que possa parecer quando minha sogra se foi, ganhei uma nora. Deixei de ser nora e passei a ser sogra. Costumo dizer que não perdi o filho e sim ganhei uma filha e nos entendemos muito bem, graças a Deus, acho que é porque queremos a mesma coisa a felicidade dele. Eles estando felizes, eu também estarei. Sou muito grata a Deus por me dar essa oportunidade. Como seria bom se todas ou a maioria das sogras e noras se entendessem, o mundo e a vida das famílias seriam bem melhores. Obrigada meu Deus por todas as graças recebidas.

Anônimo disse...

(Continuação: Anônima de 10 de abril) Marta, voltei aqui para agradecê-la pelos conselhos e dizer que consegui resolver o problema com a minha sogra :)
Passei meses pensando no que poderia ter acontecido, e tirei do fundo do baú o motivo da mudança do comportamento dela. Na verdade, eu fiquei magoada com ela quando ela me disse algumas coisas, e ela dizia que eu levantei a voz com ela.. o que eu sei que não o fiz. Então, eu me afastei dela e ela de mim, quando deixei a mágoa pra lá, percebi que tudo havia mudado.. mas não sabia exatamente o que era. Até que um belo dia eu tive um "insight" e me toquei de tudo isso, então na mesma hora falei com ela, falei como eu me sentia com esta situação e que eu me toquei do que aconteceu, me desculpei por ter levantado a voz e ter sido grossa com ela (mesmo não concordando com o "levantar a voz", mas acho que eu falei de uma forma estressada com ela)
Ela me disse que não estava brava e que eu não preciso me desculpar que está tudo bem, ela só está chateada com o meu namorado e por isso ela não pode agir normalmente comigo na frente dele... enfim, sei que ela nunca que esperava que eu fosse ter essa conversa com ela, e ela se "desarmou" depois disso... e voltou ao normal :D
Estou super feliz, não estamos mais tão "grudadas" como no começo, mas estamos muito bem :D
Obrigada Marta pela atenção.
Grande beijo.

Marta disse...

Oi, Anônima de 10 de abril, que lindo retorno você me deu. Que volta por cima! Você deve ser uma pessoa muito gentil e bem intencionada, além de inteligente, pois somente pessoas muito inteligentes são capazes de gerenciar os seus relacionamentos. Outras se deixam envolver, quebram os pratos e depois não sabem como refazer o caminho. Você teve a grandeza de se desculpar, mesmo não se julgando culpada.
Agora vá com calma, um passo de cada vez; seja autêntica, mas não espere demais. Confiança precisa de tempo para se desenvolver. Um grande abraço.