9 de fev de 2009

Ushuaia, o fim do mundo



Chegamos a Ushuaia, obedecendo ao roteiro do cruzeiro turístico. Inacreditável: estamos no fim do mundo. Lindo, visto da sacada da cabine 9126 do transatlântico Celebrity Infinity, às 5h da manhã, dia claro. Deixamos a cortina aberta, para acordar sem esforço. Pena que o percurso do Cabo Horn até aqui precisou ser feito à noite. O navio já atracou, desceremos assim que o desembarque for liberado.

A cidade parece bonita e cheia de vida, vista ao sol da manhã. Há casas e construções brancas próximas ao cais, montanhas cobertas de vegetação verde, algumas com restos de neve nos picos.



Entre as várias excursões oferecidas, optamos por realizar um passeio de catamaran por dentro do canal de Beagle. As águas dividem Argentina e Chile. Sobre as pequenas ilhas escarpadas e sem vegetação, vemos centenas de lobos ou leões marinhos, todos gordos, bonitos, esbanjando energia. Os machos, enormes, mantém-se em constantes brigas, por isso alguns mostram ferimentos grandes. Junto a eles, em convivência harmoniosa, centenas de pássaros.



Em outra ilha, vemos pássaros semelhantes a pingüins, os cormoranes imperiales. Os machos possuem um penacho vermelho na cabeça. Algumas ilhas possuem vegetação verde, outras parecem cobertas por musgos.



Viemos preparados para frio intenso, recomendados para trazer agasalhos, inclusive impermeáveis, e o vento realmente é cortante, na área externa do barco, onde todos preferem ficar, para olhar os animais e bater as fotos. A temperatura média anual é de 4,7 graus C (Celsius), com oscilação em torno de 0,5 graus C no inverno e 8,4 graus C no verão, quando o dia chega a 18 horas de luz. Estamos em janeiro e o sol está gostoso.

Vemos o farol chamado de “farol do fim do mundo”, mas a guia turística corrige que este é o mais austral; o do fim do mundo é o do Cabo Horn.

Depois, caminhamos pela cidade, com um comércio muito bom na Calle San Martin. O artesanato local também é atraente. Ao almoço, provamos o cordeiro fueguino de Usuhaia, que o assador garante ser melhor que o patagônico, acompanhado de vinho argentino e, como sobremesa, o tradicional flan com doce de leite.

Ushuaia, a cidade mais austral do mundo, pertencente à Argentina, capital da Província da Terra do Fogo, possui cerca de 54.000 habitantes. Rodeada pelos Montes Martial e Olivia, pertencentes à Cordilheira dos Andes, é localizada às margens do Canal Beagle. Foi habitada pelos índios Yamana até o século XVIII, quando grande parte da população indígena foi dizimada por mercenários, sendo os sobreviventes levados para uma reserva. Entre 1884 e 1947, foi transformada em colônia penal.

Inicialmente, a prisão alojava prisioneiros políticos e responsáveis por pequenos delitos; mais tarde, alojou criminosos de alta periculosidade. Os prisioneiros ajudaram a construir parte da cidade, inclusive a prisão, hoje museu, visitado no passeio turístico realizado pelo “trem ao extremo do mundo”.

Ushuaia merece mais tempo para ser vista e apreciada. Cidade a que voltaria, com prazer.

Nenhum comentário: