16 de ago de 2009

Renovação

Foi iniciada a campanha para a renovação na FARSUL. Com o nome do Sr. Armando Roos como candidato à presidência, foi montada a chapa da diretoria, abrangendo representações de diversos municípios do Rio Grande do Sul.

Apresentada em Pelotas, a convite da Associação Rural, a chapa, com alguns nomes pertencentes às diretorias anteriores, faz questão de se declarar como “renovação”, em lugar do termo geralmente usado, que seria “oposição”.

A renovação é salutar, em qualquer instituição. Havendo concordância, a reeleição é admissível, ainda que seja sempre aceita a criação de outra chapa para concorrer, sem constrangimentos, pois esses são os caminhos da democracia. Já o terceiro mandato frustra a formação de novas lideranças.

O presidente em exercício, Sr. Carlos Sperotto, cumpriu quatro mandatos e se propõe a cumprir o quinto. Cada mandato é de três anos, tendo o último sido estendido. Sendo assim, há 13 anos o Sr. Carlos Sperotto é presidente da FARSUL. Tempo suficiente para que seu nome já seja confundido com o da instituição. Tempo suficiente, também, para formar partidários fiéis. O que seria muito justo e natural, se a fidelidade maior não devesse ser direcionada à instituição FARSUL.
Anteriormente, somente dois mandatos eram aceitos pelos estatutos da FARSUL. Há algum tempo, foi aprovada a alteração nos estatutos, passando a ser aceita a reeleição ad infinitum. A chapa da renovação, se eleita, tem como critério retornar à idéia anterior de permissão de dois mandatos, estabelecida através de nova atualização dos estatutos.

Durante sua gestão, o próprio presidente deve formar o sucessor. Em cargos em que a atividade não é remunerada, como nos sindicatos rurais, em outras entidades de classes e em atividades assistenciais, é comum algum abnegado precisar se eternizar no posto, por falta de quem o suceda, mas esse é outro caso.

Disposto a renovar, o candidato à presidência da FARSUL, Sr. Armando Roos, “pediu que as entidades de classe e produtores rurais apresentassem propostas e idéias para a nova gestão, possibilitando definir os novos rumos da FARSUL, com vistas a atender às expectativas das bases”.

A receptividade para conhecer os anseios da classe rural, em relação ao que espera da FARSUL, manifestada pelo candidato, redundou em inúmeras sugestões, demonstrando a necessidade de as bases serem ouvidas.

O atual presidente tem seu trabalho amplamente conhecido. O candidato da renovação foi vice-presidente, na primeira gestão do Sr. Carlos, e prefeito eleito e reeleito da cidade de Não-me-toque, posteriormente.

A FARSUL é composta por 137 sindicatos rurais, representando milhares de produtores rurais. Cada sindicato tem direito a um voto, no momento da eleição, que ocorrerá em outubro. O voto é secreto.

Nesse curto período de preparação para as eleições, será salutar que os produtores rurais de todos os municípios se reúnam para debater as suas insatisfações ou necessidades, cobrando dos presidentes de sindicatos ou de seus delegados que os representem verdadeiramente.

Amizades à parte, a FARSUL e os interesses da classe rural devem estar em primeiro lugar. Por isso, seja qual for o resultado das eleições, os produtores se manterão unidos, ajudando a fortalecer o candidato vencedor e a entidade que os representa.

2 comentários:

Blog do Simeão disse...

Dia 5 de outubro de 2009, das 9h às 16h, será realizada na sede da FARSUL, (Praça Saint Pastous 125 - Porto Alegre - RS) ELEIÇÃO para Diretoria, Conselho Fiscal e Delegados Representantes junto ao Conselho da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil - CNA Brasil

Ruthe disse...

" Uma andorinha não faz um verão", porisso o correto é a clase permanecer unida , por um bem comum.