23 de mar de 2010

San Diego, na Califórnia

Às sete horas da manhã, chegamos a San Diego, situada às margens da baía do mesmo nome, no litoral do Oceano Pacífico, no Estado americano da Califórnia. As malas foram colocadas à porta da cabine, ontem à noite. O desembarque é tranqüilo, como sempre. Cada passageiro é informado da cor correspondente à sua bagagem e, ao sair do navio, ela é rapidamente encontrada _ o que é surpreendente, considerando que somos mais de 2.000 passageiros.

Recomendados pelos amigos Maria Lúcia e Ará, companheiros nesta viagem, que tiveram oportunidade de viver durante um mês em San Diego, anteriormente, alugamos um carro, pois teremos dois dias inteiros para percorrer os locais que mais apreciaram.

Montanhas cercam a área leste da cidade, após as montanhas se situa o deserto. San Diego é a cidade americana mais próxima do México. Sua arquitetura é inspirada na espanhola, o que a torna pitoresca, acolhedora. A comida é uma mistura da americana e da mexicana. A cidade parece tranqüila, organizada, com um trem que a percorre em linha reta, à diferença de pequenos espaços de tempo, decerto esse o grande responsável pelo trânsito descongestionado.

Descoberta pelo explorador português Juan Rodriguez Cabrillo, navegando sob bandeira espanhola, inicialmente a região foi colônia do governo espanhol, com o nome de San Miguel, mudado para San Diego, anos mais tarde. Com o final da guerra entre México e Estados Unidos e a corrida do ouro, em 1848, quando muitos americanos do norte afluíram à Califórnia, essa passou à posse dos Estados Unidos, em 1850. San Diego se tornou, então, a sede do Condado de San Diego, incorporada como cidade. Inicialmente favorecida pela construção da ferrovia, passou a ter grande importância naval, a partir de 1901, tendo os militares desempenhado importante papel na economia, após a primeira guerra mundial.

San Diego possui um grande zoológico, com cerca de 100 hectares, santuário para milhares de animais e mostruário de plantas exóticas de todo tipo de climas.

Percorremos parte do belíssimo Balboa Park, com museus e várias exposições. O parque, que mereceria um dia inteiro, deixa o conhecido gostinho de “quero mais”.

No novo Museu de Aviação Naval, é possível conhecer um pouco da vida a bordo em um dos mais antigos porta-aviôes dos Estados Unidos, o USS Midway.

Em San Diego também está situada a maior frota de pesca do Pacífico, sendo a cidade considerada importante centro comercial, industrial e agrícola do Sul da Califórnia.

San Diego possuía uma população de cerca de 1.300.000 pessoas, no censo de 2006, mas não se tem essa idéia, caminhando pelas ruas tranquilas. O aeroporto, da mesma forma, é organizadíssimo, apesar do intenso trânsito aéreo, surpreendente em relação ao tamanho da cidade, se comparado ao movimento e à organização dos maiores aeroportos brasileiros.

Entre os americanos, San Diego sempre foi considerada um bom lugar para viver ou visitar, inclusive por possuir o melhor clima dos Estados Unidos, pela proximidade com o Pacífico, mas também pela revitalização sofrida, com alterações inclusive na arquitetura.

No entanto, justamente por ser plenamente justificado o entusiasmo dos amigos Maria Lúcia e Ará, é interessante a circunstância de não ser roteiro mais divulgado, entre os brasileiros, sendo a cidade que é. De nossa parte, enquanto retornamos ao Brasil, fazemos planos de retornar, com mais tempo para conhecê-la melhor.

Nenhum comentário: