19 de abr de 2012

Allure of the Seas, março de 2012




Contrariando o bom senso, que alerta para não refazer os passos, em busca das emoções, gostos, cheiros e prazeres do passado, embarcamos no transatlântico Allure of the Seas, desta vez para um cruzeiro pelo Caribe Leste. Em março de 2011, passamos nele uma maravilhosa semana, percorrendo o Caribe Oeste. A experiência foi tão boa, que nos arriscamos a repeti-la.

Como, em 2011, já ocupei este espaço para contar sobre o Allure of the Seas, considerado o “maior navio do mundo”, junto com seu irmão gêmeo, o Oásis of the Seas, não vou me repetir. Mas, clicando na seção “De Mala e Cuia”, neste blog, é possível ler as crônicas com o histórico e alguns dados técnicos do navio.


O check in em um cruzeiro marítimo sempre impressiona, pela rapidez e eficiência. Na primeira vez em que se vive essa situação, a sensação é de pânico, quando os carregadores, diligentemente, retiram as malas das nossas mãos e as identificam com o número do deck e da cabine. Com as repetidas experiências em alto-mar, passamos a considerar natural o fato de encontrá-las, após algumas horas, à porta da cabine.

O desembarque do cruzeiro anterior terminou às 10h da manhã, todos os passageiros convidados a deixar seus aposentos antes das 8h30, para dar tempo de limpá-los e organizá-los para o novo grupo. O embarque está previsto para as 14h, mas ao meio-dia é grande o movimento de passageiros chegando. Como as cabines estão sendo arrumadas, vamos ao Windjammer Marketplace, no deck 16, onde deliciosas iguarias estão à disposição, em inúmeros buffets. Lugar perfeito para encontrar nossos companheiros de viagem, chegados hoje ao aeroporto de Miami, de onde vieram numa van da Royal Caribbean, junto com outros passageiros brasileiros.



Inaugurado no final de 2010, o Allure of the Seas pesa 220.000 toneladas e possui 360 metros de comprimento, tem capacidade para 5.400 passageiros a bordo e cerca de 2.100 tripulantes, o que explica o excelente atendimento proporcionado aos passageiros.

Como estamos numa cabine com sacada externa, localizada ao lado da dos companheiros de viagem, preferimos não nos deslocar até o Piso 6 para assistir à Festa de Celebração da Partida, com a participação de Shrek, Fiona, Gato de Botas e outros personagens do DreamWorks. Ficamos na sacada, batendo fotos e trocando impressões sobre o navio, através das sacadas.

A partir desse momento, ouviremos muitas vezes o comentário de que o Allure supera todas as expectativas; dizem os companheiros que não os preparamos para tal encantamento. E eu que receava criar falsas expectativas, com o meu entusiasmo.


No segundo dia de viagem, aportamos em Nassau, capital das Bahamas. Antigo reduto de piratas e corsários, Nassau é, hoje, excelente ponto turístico. Além das praias paradisíacas, possui um comércio importante, principalmente de ouro e pedras preciosas. Como em outras ilhas do Caribe, as vitrines se sucedem, num mostruário de belíssimas joias, a preços mais acessíveis que o comum, por se tratar de free shop.



Aproveitamos o terceiro dia para curtir o navio, com as suas inúmeras atividades. No quarto, descemos em St. Thomas, pertencente às Ilhas Virgens Americanas, menor que Nassau, mas mais charmosa, em minha opinião. No dia seguinte, as interessantes Philipsburg e St.Maarteen, uma com a herança holandesa, outra com o charme francês. No retorno ao navio, muita música, alegria e conversa fiada com outros brasileiros, que eles estão em grande número, neste cruzeiro.


Agora, dois dias em alto-mar, retornando a Fort Lauderdale. Sensação de agradecimento por cada instante vivido.

Um comentário:

Lisya disse...

Prezada Marta,

Buscando informações sobre o cruzeiro a bordo do Allure of the Seas, que vem ocupando minha mente nos últimos dias, encontrei seus maravilhosos artigos.
Eles esclreceram várias dúvidas e me deixaram extremamente encantada com tudo que este gigante dos mares pode oferecer!
Decidi que vou embarcar com meu namorado no ano que vem, mas estou em dúvida sobre qual roteiro escolher.
Como vi que vc já fez os dois itinerários (Costa Leste e Costa Oeste) pensei em te pedir uma orientação.
Estou levemente inclinada a escolher a costa leste, já que fui ano passado a Cancun (e acredito ser um pouco parecido com Cozumel e Costa Maya).
Não sei se terei a oportunidade de repetir a dose do Allure, portanto, gostaria de fazer a melhor opção em termos de roteiro.
Será que vc poderia me dar essa dica?
Se tivesse que escolher um dos itinerários, qual seria?

Desde já, agradeço muitíssimo!