1 de jun de 2012

Eu tenho um sonho

Em inglês, a canção se chama “I have a dream”. Foi inspirada num discurso proferido por Martin Luther King, em 1963, sobre as desigualdades raciais e seu anseio de que, um dia, negros e brancos vivessem num mundo em que todos fossem iguais.

O discurso de Martin Luther King, pronunciado na escadaria do Monumento a Lincoln, em Washington, foi ouvido por mais de 250.000 pessoas de todas as etnias e classes sociais. Nele, o líder negro denunciava as condições dramáticas em que viviam os negros, no Sul dos Estados Unidos, e cobrava do governo americano atitudes enérgicas que garantissem a segurança física, tanto deles como dos defensores dos direitos civis.

Em 1964, a Lei dos Direitos Civis foi votada e promulgada pelo presidente Lyndon B. Johnson e, em 1965, os negros obtiveram o direito ao voto, nos Estados Unidos, abrindo caminho para que passassem a escolher seus representantes, a fim de que as leis saíssem dos papéis e se tornassem realidade.

Nos anos 70, fui pela primeira vez aos Estados Unidos e, naquela ocasião, choquei-me com a postura ostensivamente agressiva dos negros americanos, como quem se sabe discriminado e não aceita esse papel. Passados vinte anos, era outra a sua atitude, comportamento educado, condição econômica demonstrada nas roupas elegantes e na frequência aos melhores locais de compras, plenamente inseridos nas comunidades.

Enfim, a mensagem de Luther King fora assimilada e posta em prática: o negro americano conquistara o seu lugar de direito.
“Eu tenho um sonho que um dia esta nação se levantará e viverá o verdadeiro significado de sua crença” _ falou Luther King, naquele momento histórico. Eu também tenho o sonho de um dia poder me orgulhar do meu país, porque hoje só podemos nos envergonhar de ser brasileiros. É que, exceto por algumas vozes aqui e ali, somos um país de gente submissa, acovardada, que baixa a cabeça e aceita a sem-vergonhice que rola, a roubalheira correndo solta e escancarada, uns acobertando os outros, com medo de que os seus erros venham à tona, se abrirem a boca. Gente demais protegendo a própria cauda.

Somos um país de cidadãos que, de maneira geral, calam diante das injustiças, enquanto os direitos básicos da população são pisoteados, nos hospitais os doentes tratados como animais não merecem ser, a educação posta em último lugar, para que as pessoas não aprendam a lutar por suas convicções.

Que falta faz um Luther King, neste momento da nossa história. Mas, se não temos um líder destemido e preparado, capaz de lutar por nossos direitos, precisamos ser os olhos e as vozes daqueles que se acostumaram a baixar as cabeças, com medo de sofrerem represálias, se relatarem as situações vividas. E de nossos políticos, representantes e todos à frente das instituições, quando idôneos, competentes e empenhados em servir ao bem comum, esperamos que não compactuem com aqueles que se locupletam, às nossas custas. Que assumam posições, mostrando que se pode ser honesto e competente, para liquidar de vez com o conceito da esperteza como símbolo do sucesso.

Mas isso é apenas um sonho. Os jornais contam ou deixam de contar outras realidades e nós, brasileiros de todos os cantos, corremos o risco de breve passar a considerar tudo normal. Ou cada um pode começar a fazer a sua parte, o que seria um bom começo.

Mas, se esse assunto incomoda, podemos falar de flores, tema que não empesta o ambiente.


4 comentários:

Lizete Fernandes disse...

Independentemente da faixa etária, todos nós gostaríamos de ver nosso país "limpo", livre de falcatruas e corrupção. Mas, infelizmente, quem não é fica, pois, o poder corrompe. Está no DNA. Porém, quando todos querem se consegue, e nós vamos conseguir ter um país dos sonhos, se Deus quiser e Êle quer!

kenya disse...

Martha querida, adorei a tua energia e capacidade de indignação. Quero ver mais!!!! Beijos, Kenya

Claire Castagno disse...

Gostei muitíssimo do teu artigo "Eu tenho um sonho". Faço votos que continues sempre assim. Beijo da Claire

Ruthe Peteres disse...

Este é o meu grande desejo. Espero que se concretize, em breve espaço de tempo.
Beijos